Lilypie 1st Birthday Ticker
Quarta-feira, 7 de Abril de 2004

A Lua Vermelha

Ontem estava mesmo a sair da ponte quando apanhei um grande susto. Estava uma bola vermelha enorme mesmo junto à linha do horizonte. Percebi que era a lua. Uma lua vermelha. Ainda nunca tinha visto nenhuma, era coisa de ficção até ontem. Lembrei-me logo das palavras dos livros... lua vermelha, blood has been shed or the land demands sacrifice... bad omen... blood on the moon. Tinha que lhe tirar uma foto! Mas à medida que seguia para casa a lua foi subindo, ficou laranja... amarela e ia diminuindo de tamanho. É surpreendente a velocidade a que a lua sobe no céu. Quando cheguei a casa 10 mintos depois ela já estava bastante mais lá em cima e de um tom amarelo. Tentei tirar umas fotos mas a coisa não resultou... depois fiz umas brincadeiras :)




Entretanto descobri isto:

LUAS COLORIDAS, CRENÇA POPULAR E EXPLICAÇÃO CIENTÍFICA

Lua prateada – No alto do firmamento, a Lua apresenta-se com a tonalidade argêntea, refletindo a luz branca emanada do Sol, sem maiores obstáculos por parte das camadas gasosas. Os raios refletidos, que chegam à Terra, atravessam extensões atmosféricas relativamente curtas. O meio que nos envolve é muito menos carregado em cima do que aos lados, no plano horizontal..

Lua vermelha – Quando o nosso satélite nasce ou põe-se no horizonte, a coloração é outra porque nessas posições a luz por ele refletida atravessa extensas camadas, densas e rasteiras, carregadas de fumaça, poeira e nuvens de partículas micrométricas invisíveis. Na transparência espacial agem como filtro barrando os componentes verde, azul e violeta, deixando passar mais livremente o vermelho, daí a justificativa para a Lua “baixa” ser avermelhada. Sob nevoeiro, bruma e fumaça, considerando grandes distâncias, a visibilidade da luz vermelha é muito mais acentuada do que o verde e o azul, razão pela qual tornou-se a cor convencional para os sinais de alarme e de perigo.

Lua púrpura – Quando a Terra se alinha entre o Sol e a Lua (fase cheia), sem que haja contudo o eclipse, nosso satélite não toca no cone de sombra mas entra na área de penumbra, mudando de coloração para o castanho. Nesse instante um observador situado na Lua não viria o disco solar em sua plenitude e, se a iluminação é parcial, sua cor é sensivelmente alterada. Sobre esse fenômeno, os antigos acreditavam que Marte, o deus da guerra, estava ávido por sangue e, servindo do pretexto, os astutos sacerdotes recorriam ao povo, exigindo dele aumento de impostos e oferendas. Era prometida a intermediação junto ao poder divino rogando moderação da guerra naquele ano. Como se vê, a artimanha para que o povão pague a conta não é coisa só do nosso tempo.

Lua azul – Em l998, com fundamento lendário, uma telenovela em exibição incluiu em seu enredo uma segunda Lua cheia, que não ficou nada esclarecida, duas luas simultâneas no céu atentando contra a Astronomia (?); e como a rede de TV estava mais interessada no IBOPE, do que em divulgar conhecimento, os telespectadores ficaram com a dúvida. Muita gente acreditou que ambas as luas seriam as mensageiras da virilidade e fonte de prazeres ligados à libido. Uma atriz, no dia do espetáculo lunar, teria os poderes de ultrapassar uma grade ferro para ter-se com o marido aprisionado numa das celas. Todos viveriam uma onda de volúpia e concupiscência por toda a cidade, Tudo isso graças a aparição da segunda Lua cheia.
A explicação, quanto às duas luas, está em que, entre duas fases cheias consecutivas, há um espaçamento de 29 dias e 13 horas. Ora, quando a primeira “cheia” acontece nos dias 01 ou 02, a segunda cairá em 30 ou 31 do mesmo mês, e é desta segunda que falamos, jamais se tratando de um par de satélites idênticos. Emprega-se também a expressão Lua Azul, nada tendo a ver com a cor; isso é só para inglês ver, aliás, de um modo internacional, usamos o Blue Moon. Termos sugestivos para batismo de boates e motéis.
Se a ocorrência cair nos dias 2 e 31 de janeiro, o mesmo se repetirá no mês de março, como tivemos neste ano de l999. Até o final de março teremos portanto quatro “cheias”, caso raríssimo e que só aconteceu há 84 anos!
Temos aí um prato cheio para previsões agourentas. Dizem até que dos 2000 o mundo não passará, e esse evento astronômico deste ano é o segundo do século e último do milênio. As predições giram portanto sobre agouro, sensualidade e triunfo; mas como ficariam os muçulmanos? Teriam um mundo aparte? (O Islão adota os mês de 29 dias e 13 horas coincidindo com o período lunar, sem repeteco de Lua cheia).

Genésio M. Seixas in http://www.geocities.com/rodrigomussi/
publicado por Claudia Borralho às 10:21
link do post | comentar | favorito
|
3 comentários:
De Anónimo a 22 de Agosto de 2005 às 07:03
pensei logo no fim do mundo...my god...
Jokas para todos...
Lua Vermelha estranha que eu vi!!!
bruno
</a>
(mailto:bruno_quintino_82@hotmail.com)
De Anónimo a 30 de Julho de 2005 às 22:52
Eu tbm vi a Lua vermelha esses dias!!Mariane
</a>
(mailto:ai_mariaaane@hotmail.com)
De Anónimo a 9 de Abril de 2004 às 22:17
Já vi que também gostas da lua como eu.Linda foto a da lua vermelha!Bjokas**Ahimsa
(http://Ahimsa)
(mailto:ahimsa1@sapo.pt)

Comentar post

.mais sobre mim

. Fiz eu!

. Oriana

. Ideias de Prendas de Natal

.tags

. todas as tags

.pesquisar


.arquivos

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

. Março 2004

. Fevereiro 2004

. Janeiro 2004

. Dezembro 2003

badge